Sexta-feira, 14.01.11

Beijo

"- Beija-me como se estivesses a beijar o teu primeiro namorado!

Como se fosse o teu primeiro beijo!"

 

I'm waiting!

Because I believe that one day we'll fly and we'll touch the sky...
I believe in you,
Please you don´t give up!

 

 

 

E fechei os olhos,

Senti um arrepio nas costas,

Borboletas no estômago,

As mãos transpiradas,

Encostei os meus lábios nos teus,

Abracei-te,

Senti todos os contornos dos teus lábios com os meus,

Beijei-te devagar,

Como se fosse o meu primeiro beijo,

Como se fosse o meu último,

Como se fosse o primeiro de muitos mais beijos que iremos dar,

E senti asas nos pés,

E voei,

Vi estrelas,

Toquei o céu,

Caminhei sobre as nuvens,

E esqueci que havia mundo para além de nós,

Porque só nós existia-mos!

Ontem não planeie,

Para amanhã não vou esperar,

Fui feliz porque aproveitei o momento

Porque simplesmente Beijei como se o fizesse pela primeira vez

Sem medos nem esperanças!

 

publicado por Sonhos Trocados às 01:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 31.10.10

Fragmento 112

 

" Nunca amamos alguém. Amamos, tão-somente, a ideia que fazemos de alguém. É a um conceito nosso - em suma, é a nós mesmos - que amamos.

 

Isto é verdade em toda a escala do amor. No amosr sexual buscamos um prazer nosso por intermédio de um corpo estranho. No amor diferente do sexual, buscamos um prazer nosso dado por intermédio de uma ideia nossa. O onanista é objecto, mas, em exacta verdade, o onanista é a perfeita expressão lógica do amoroso. É o único que não disfarça nem se engana.

 

As relações entre uma alma e outra, através de coisas tão incertas e divergentes como as palavras comuns e os gestos que se empreendem, são matéria de estranha complexidade. No próprio ato em que nos conhecemos, nos desconhecemos. Dizem os dois «amo-te» ou pensam-no e sentem-no por troca, e cada um quer dizer uma ideia diferente, uma vida diferente, até,porventura, uma cor ou um aroma diferente, na soma abstracta de impressões que constitui a actividade da alma."

 

"É de compreender que sobretudo nos cansamos. Viver é não pensar."

 

Bernardo Soares in Livro do Desassossego

publicado por Sonhos Trocados às 16:06 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Terça-feira, 21.09.10

10 perguntas mais dificeis de responder,,,

 

Ao final do dia a dar umas vista de olhos nos jornais deparei-me com um artigo interessante no I com o título: "Saiba quais são as dez perguntas mais difíceis de responder" (http://www.ionline.pt/conteudo/79424-saiba-quais-sao-as-dez-perguntas-mais-dificeis-responder).

 

Inserido nas comemorações dos 10 anos do “motor de pesquisa Ask Jeeves elaborou uma espécie de TOP10 com as questões mais complicadas.”

“Algumas das perguntas listadas incluem as perguntas filosóficas da praxe, como “Qual o sentido da vida?” ou “Qual é o segredo da felicidade?”, que serão respondidas pelos utilizadores, uma vez que não têm uma resposta concreta.


Ranking das 10 perguntas mais difíceis de responder:
1. Qual é o sentido da vida?
2. Deus existe?
3. As loiras divertem-se mais?
4. Qual é a melhor forma de emagrecer?
5. Há alguém aí (no espaço)?
6. Quem é a pessoa mais famosa do mundo?
7. O que é o amor?
8. Qual é o segredo da felicidade?
9. Tony Soprano morreu?
10. Por quanto tempo vou viver?”


Resolvi tentar responder a todas elas… se foram difíceis de responder?

 

Não!

 

Difícil é viver.

 

Experimentem fazer estas perguntas a uma criança e verão como ela tem uma facilidade incrível em responder a todas elas. Podem experimentar a um louco também, e ele irá rir-se na vossa cara…

 

Vamos lá então:

1. Qual é o sentido da vida?
O único sentido da vida é viver simplesmente!
Ao procurar incessantemente um sentido para a vida deixamos de viver, logo a vida perde todo o sentido.


2. Deus existe?
Para quem acredita, é claro que existe.
Experimentem dizer a uma criança que o amigo imaginário dela não existe…
Tentem dizer a um louco que fala com uma pedra que ela não lhe responde.
Todo o Ser Humano tem necessidade de acreditar que existe algo ou alguém que o protege, tenha ele o nome de Deus, Alá, Buda ou simplesmente Mãe.


3. As loiras divertem-se mais?
Antes de serem loiras são mulheres… antes de serem mulheres são filhas, mães, esposas. Daí concluir, que esta pergunta foi feita por algum homem machista ou por uma mulher invejosa.
Loiras, Morenas, Ruivas ou às bolinas somos nós Mulheres que mesmo por uma fatalidade perdemos todo o nosso cabelo e continuamos com um sorriso nos lábios, e a divertir todos os que nos rodeiam, mesmo que o nosso coração chore.
É uma das características mais marcantes da Mulher: Mesmo triste tem a capacidade de sorrir e de divertir quem está à sua volta


4. Qual é a melhor forma de emagrecer?
Perguntem às crianças e mendigos que não sabem o que é uma sopa quentinha de legumes frescos, que obterão uma resposta na hora.
Já agora, Qual a melhor forma de engordar?


5. Há alguém aí (no espaço)?
O que é “ALGUÉM”?  Não está provado que não existe.
Se acreditas que existe algo é porque existe mesmo.


6. Quem é a pessoa mais famosa do mundo?
Se tu não fores a pessoa mais famosa do teu mundo e a personagem principal da tua história então não vale a pena viveres.


7. O que é o amor?
Uma pequena definição que não a minha:
“Um homem e uma mulher que tinham olhos e coração e fome de ternura
e souberam entender-se sem palavras inúteis
Apenas o silêncio A descoberta A estranheza
de um sorriso natural e inesperado”

Daniel Filipe (1925 - 1964)
"A Invenção do Amor e Outros Poemas", Lisboa, Presença, 1972

Para mim o amor é deixar que o centro do meu mundo passe a ser o mundo de quem amo.


8. Qual é o segredo da felicidade?
Viver as pequenas alegrias para construir o puzzle da felicidade.
Em tempos houve uma mulher que me disse que uma Mulher sabe o que é a felicidade plena no momento em que dá à luz e lhe colocam o filho nos braços. (Não vos posso dizer se é verdade ou não porque não sou mãe, mas todas as mães a quem perguntei se era verdade me disseram que sim.)


9. Tony Soprano morreu?

Tony Soprano ou o Rei D. Sebastião como diz a frase “As pessoas só morrem quando nos esquecemos delas”.


10. Por quanto tempo vou viver?
Irei viver até ao dia em que morrer.
Mas morrer não é apenas deixar de respirar…
Deixarei de viver quando não estiver apaixonada por algo ou alguém, nem que seja por um par de sapatos novos da última colecção!

 

Respostas tolas?

São as minhas respostas, e garanto que não tive qualquer dificuldade em responder-lhes, talvez por ainda conseguir ter uma criança dentro de mim, ou simplesmente por ser louca e viver no meu mundo.

 

PS – Deixo-vos uma dica, leiam o “Principezinho” de Saint-Exupéry e verão que responder a estas e outras questões será mais simples. Ajuda também muitos pais a entender os seus filhos. E a adultos a olhar o mundo de uma outra perspectiva.

 

 

 

 

 

publicado por Sonhos Trocados às 00:37 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Quarta-feira, 19.05.10

Fechar a Porta

Eu bem sabia que não ia ser fácil escrever com regularidade aqui... sempre gostei muito de rabiscar numa folha de papel. Acho que com as teclas os pensamentos não me saem tão naturalmente.

 

Nos últimos tempos têm-se passado muitas novidades, muitos pensamentos, muitas alegrias, muitas desilusões.

 

 

Hoje vou escrever sobre "Fechar a Porta" e o quão difícil esse gesto tão simples se torna.

 

Passado tanto tempo ainda não "fechei a minha porta" ou melhor, fui colocada fora da vida de alguém, mas não me fecharam a porta.

Na altura pensei que isso seria bom, pois quer queiramos quer não fica sempre uma esperança, porque a porta esta ali entreaberta, e temos esperança que mais cedo ou mais tarde a porta se reabra e nos convidem a entrar.

Mas porra, não tenho vocação para cadelinha que fica no tapete à espera que o "dono" volte a abrir a porta e de vez em quando se lembre de fazer uma meiguice.

 

Lá depois de muita lamber as minhas feridas voltei a acreditar que podia refazer a minha vida, e que não queria mais entrar dentro daquela casa.

 

Chega!

 

Voltei a acreditar que poderia apaixonar-me novamente... pensamento ingénuo o meu.

Se eu ainda não me tinha refeito de uma queda já me estava a atirar de cabeça em outro precipício?

Isto deve tratar-se de uma tentativa de suicídio só pode...

O voltar a acreditar não foi mais do que o querer ser feliz, querer voltar a acreditar que poderia apaixonar-me novamente, mas esta tarefa só seria possível (sem sofrimento) se estivesse limpa desta droga que foi o sentimento que me corrompeu.

 

Estes dias cá tenho eu andado a lamber feridas... e a tentar recompor-me fechei a porta de vez.

Bati com ela para não voltar, não voltar da mesma forma.

Se um dia nos reencontrar-mos será alguém a bater na minha porta. Porque eu não fico mais na porta de ninguém.

 

Voltar a acreditar no amor, na paixão? É claro que voltarei a acreditar... sou mulher e uma eterna apaixonada... mas terei que estar recomposta. Sem feridas.

 

Esvaziei a casa, queimei as recordações ruis, levo comigo as boas, tranquei a porta e coloquei uma placa: VENDE-SE!

 

 

 

 

Procuro uma casa, que não seja apenas um T1 mas não sei se terá espaço para mais alguém!

publicado por Sonhos Trocados às 17:42 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Abril 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

posts recentes

comentários recentes

Posts mais comentados

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO